Sensível, eu?

Por momentos baixou a guarda e distraidamente começou a fazer cafuné à  irmã que, deliciada, aproveitou para pedir ajuda.
-Ajuda-me a tirar a camisola, maninha!
Aquela voz despertou-a, levando-a a reentrar na carapaça  mas não sem antes advertir a irmã - Tita, não sejas carente!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Hoje dei os meus impostos por bem empregues

Entre altos e baixos

CPE - essa lufada de ar fresco