A irmã do meio

Eu caminho (a passos largos) para os 41; ela (passos mais lentos) para os 37.

Antes de nascer ameaçava deitá-la  ao lixo.

Não o fiz e agora arco com as consequências.

Continua (continuará sempre, parece-me) a apagar-me a luz da casa de banho e eu a responder com insultos, acompanhados de ameaças de pancada que ficam sempre por cumprir, até porque tem mais força que eu.

Bem lá no fundo é boa irmã (não acredito que disse isto) e excelente tia.

Continuaremos cão e gato até ao fim dos nossos dias.

Afinal, só nos metemos com aqueles de quem gostamos.









Comentários

Mensagens populares deste blogue

Hoje dei os meus impostos por bem empregues

Entre altos e baixos

Só Deus tem os que mais ama