Irmã mais velha

A pequena é peconhenta e não lhe dá um segundo de sossego. Num misto de idolatria e mera vontade de chatear, segue a irmã por todo o lado, desfaz-lhe os novelos de lã, a casinha das bonecas, torna as tentivas de leitura uma prova de obstáculos. A mais velha também não é santa nenhuma, note-se, mas de facto tem ali um osso duro de roer. Ainda por cima com o azar de ser quase sempre ela a ser a apanhada a molhar a sopa o que se deve a nós aparecermod no momento em que já esgotou os argumentos e a paciência (leia-se quando a gritaria é já insuportável e audível ao fundo da rua). Nos pequenos e raros, talvez por isso encantadores, momentos em que hasteiam a bandeira branca, é vê -la preocupada com a irmã evidenciando o instinto maternal que, por regra, as irmãs mais velhas têm. Às vezes parece que vivo com duas gatas assanhadas, mas o que é certo é que quando tento meter a colher formam uma equipa indestrutível.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Para a Luísa

Até ao céu

3 professores em 4 anos!