segunda-feira, 11 de junho de 2012

Já vi alguns internados por menos

Imaginem uma mãe que passou meses a sonhar com o 3.º aniversário da filha mais velha. Sózinha em casa, ao preparar a festa, coloca as velas no bolo - duas (1+1). Mira, e torna a mirar, o bolo e acha-o lindo. Não repara em nada estranho. Dias mais tarde, a mesma mãe prepara-se para lavar loiça. Pega no esfregão com a mão esquerda e na garrafa com a mão direita. Verte o líquido no esfregão. Até aqui tudo normal, não fosse o líquido azeite. A mamã sente necessidade de relaxar. Está entusiasmada pois vai conhecer, pessoalmente, uma amiga virtual. Está calor e vai tomar um cafézinho com a amiga. Pede, também, uma garrafa de água mas não bebe por ela. Despeja-a ... na chávena do café, muito mal posicionada ao lado do copo. Feliz da vida, a mamã consegue sair a horas do trabalho. É dia de almoço com as amigalhaças. Será dia de piquenique indoor, uma nova modalidade de convívio. Chega à porta de casa (a sua), cumprimenta as amigas efusivamente, tal é a excitação. Mete a mão na carteira. Vasculha .... A chave ?!!! Diz uma das Amigas "Tu não eras capaz de fazer isso, eras?!!!". Disso, e pior. Alguns quilómetros depois, o piquenique aconteceu.

2 comentários:

  1. temos de nos rir das nossas distrações! bjs

    ResponderEliminar
  2. eheheh, por aqui tb n ando famosa, ainda n me aconteceram dessas, mas há dias estava a mudar de sitio um saco plástico (sabendo que continha vidro partido) e sem me lembrar desse detalhe fiz um corte jeitoso e fundo na perna. E com o stress de andar em mudanças de trabalho tenho que escrever listas com tarefas a fazer no trabalho, as quais obviamente guardo num lugar tão bom que nem as encontro... Força! :)
    Galinhola

    ResponderEliminar

Obrigada por dar vida a este blog.