quinta-feira, 19 de julho de 2012

Mas tudo passa, tudo passará...

... e nada fica, nada ficará. Grande Nelson Ned. Há 3 anos, por estes dias, fiz a 1.ª sessão de quimio. Desculpem ser chata, mas é um assunto que não consigo evitar. Peguei no livro "Pegadas na Areia", meti-lhe lá dentro uma foto da Leonor e lá fui, cheiinha de medo. Fiz a primeira sessão sem cateter, numa veia da mão. Com a 1.ª quimio, a comichão começou a ir embora, juntamente com o cabelo do qual nunca tinha gostado muito. Passado este tempo, a comichão foi à vidinha dela e o cabelo recuperou a sua rebeldia habitual, com a diferença que agora gosto (e muito) dele. Não conseguindo deixar de me lembrar do horrível mês de Julho de 2009, mas tendo a felicidade de o comparar com o Julho em curso, não me ocorre letra mais apropriada que esta do Nelson Ned. Pode ser pirosa, mas diz aquilo que sinto hoje.

3 comentários:

  1. O que importa é que as coisas boas fiquem, e essas estão de pedra e cal... beijo grandeda Maria Clara

    ResponderEliminar
  2. Tem toda a razão Maria Clara.

    Um grande beijinho

    ResponderEliminar
  3. Nós tb estamos a respirar de alivio depois de 2 anos. E n te preocupes que te amamos mto mesmo de cabelo rebelde (que temos todas na familia!) :)
    jinhos da Galinhola

    ResponderEliminar

Obrigada por dar vida a este blog.