sábado, 3 de novembro de 2012

Beijo na boca mata mãe do coração

Ontem, quando fui buscar as meninas à escolinha, estava longe de pensar naquilo que iria ver.

A Maria Leonor andava a brincar com um menino, que vim a saber ser novo na sua salinha.

Na hora de ir embora, chamou-o "R... anda cá falar comigo".

O R. assim fez, aproximou-se da donzela, esticou-se e espetou-lhe um beijo nos lábios.

Fiquei pregada ao chão, a hiper-ventilar e sem saber o que fazer.

Ela, como se nada fosse, virou-se serenamente e deu-me a mão.

Ainda julguei ter visto mal e perguntei "Leonor, o menino deu-te um beijo no nariz?". "Não, mãe, foi na boca".

Juro que me apeteceu chorar. Não estava preparada.

Bolas, imagino como será a sensação daqui a uns anos. Quando os beijos forem a sério.

Acho que é hoje que envio a rapariga para um convento de freirinhas contemplativas.







Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada por dar vida a este blog.