domingo, 27 de outubro de 2013

Na 9.ª edição do Aveiro Night Runners. Fui e sobrevivi!

Finalmente, depois de vários adiamentos relacionados essencialmente com a preguicite aguda de que padeço, participei na Aveiro Night Runners.

Dada a minha deplorável condição física, integrei a versão caminhada.

Foi só começar a caminhar, num passo mais apressado, entre o carro e o local da partida para aparecer a famosa "dor de burro".

Comecei a ver a coisa mal parada. Não caminhava, a sério, há anos (no sentido literal da expressão).

Depois, ao ver a malta fazer o aquecimento, a "dor de burro" aumentou e instalou-se nos dois lados.

Lá tive de inspirar e expirar, cerrar os dentes e partir, determinada a fazer o máximo que conseguisse.

A coisa correu muito melhor do que eu imaginava. Foi uma hora de caminhada pela cidade que amo, a dar à língua e soltar gargalhadas.

Cheguei ao fim encharcada em suor e a cheirar a cavalo, mas com vontade de repetir.

PS

Obrigada Vanda Fonseca, por não me deixares ficar em casa

3 comentários:

  1. E agora o que é preciso é não parares :)
    A mim não me dá dor de burro, mas dá-me vontade de caminhar ao fim de um km ou assim... é só mental, eu sei, mas é mais forte do que eu!!

    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vamos ver se não perco a embalagem. Soube-me bem aquela caminhada. beijos

      Eliminar
  2. E isso foi o princípio. Se continuares, vais ver que a dor de burro desaparece. Com a prática vais adorar.

    Eu só não caminho mais, porque não tenho companhia e sózinha é uma bocado seca.

    ResponderEliminar

Obrigada por dar vida a este blog.